Quarta-feira, 02.07.08

Sarkozy en off sur France 3
Colocado por rue89
 

Não é a primeira vez que aqui declaro que este tipo de imagens, captadas em off, e respectiva divulgação me merece algumas reservas. A última vez que o fiz foi a propósito da divulgação de uma conversa entre a Minitra da Justiça francesa e a jornalista que a iria entrevistar de seguida, com quem tinha relações de amizade, logo a converseta captada era, claramente, uma invasão da privacidade de duas amigas. Aqui o caso é bastante diferente e as minhas reservas são muito atenuadas. Ressalvado isto... a figurinha é mesmo triste, convenhamos.

(discussão sore o tema pode ser vista aqui)




Não tenho a certeza de não ter já dito isto no ano passado mas gosto tanto desta inovação que, mesmo se for tema repetido, não faz mal: as matrículas automáticas nas escolas dos putos (todas? so I hope...) são-me tão simpáticas. Dá vontade de perguntar porque diabo não existem há décadas. Para quê aquelas horas de "ir comprar impressos" e, depois, noutro dia, ir perder tempo numa fila à espera que chegasse a nossa vez  de entregar os papeluchos? O mais elementar bom senso diz-nos que durante a escolaridade obrigatória não há nada que saber, depois de um ano vem outro, com o mesmo aluno... se a escola já tem todas as informações necessárias sobre ele no processo para quê repetições?



Shyznogud às 10:33
editado por Jonas às 10:57
juntar-se ao pagode

Estou amuada! Acontece-me sempre isto quando não me deixam falar e é isso que está a acontecer porque não consigo comentar o que por aqui se vai escrevendo. Assuntos tão importantes como os velhos pintores estão  passar-me ao lado.

 




Terça-feira, 01.07.08

Onde a lei nos obriga a apanhar mocas de cair pró lado. Não há cá coisas diluídas, dizem eles, não sejam meninos.


sinto-me: verde de inveja



sinto-me: nova feminista


Imagino que para glorificar deus nosso senhor. E não me digam que "isto é o que eles dizem"; toda a gente sabe, o mercado é como o algodão, não engana. Não é?

 

(vejam mesmo o slideshow todo, vale a pena)


sinto-me: embevecida


 O Alexandre Borges, qual fénix, finalmente renasceu (abandonou a totózice, está visto)...com um post de temática pouco original nesta altura - bater na Alemanha - mas que se torna imprescindível pela importância e gravidade das justas denúnicas que faz. Dou-lhe a palavra (bolds meus):


"(...)Por fim, há, é claro, dramáticas razões históricas para não correr atrás da Alemanha de cada vez que ela avança.

 

Mas no meu caso, querido leitor, não são Hitler, o nazismo e o holocausto o que me motiva o afastamento. Foram personagens e acontecimentos localizados na História que não podemos confundir com um povo inteiro. O meu problema com a Alemanha é aqueloutro projecto secreto de extermínio que eles têm: a música pop alemã.

 

Apanharam-nos de surpresa, à má fila, com os Boney M, mas aguentámo-nos bem. Depois, vieram os Scorpions. Segurámo-nos à vida quase por milagre. Ainda estávamos a sarar as feridas e vieram os Modern Talking. O mundo ainda estava estendido no chão e eles mandam os Milli Vanilli. Quando inventámos o I-pod e rolhámos os tímpanos com headphones para conservação do que resta da espécie, eles infiltram-se como vírus nos ouvidos da rapaziada com os Tokyo Hotel.

 

Enfim. Proibimo-los de formar exércitos e deixámo-los agrupar bandas musicais. Erros de avaliação.

 

Venha o Schweinsteiger e o Goebbels. Do que a malta não estava à espera era do “Still Loving You”.

 

 




Brevemente em full motion numa cidade não tão perto assim.

 

Adenda: PEHDTSCKJMBA!
[ler peskajamba]




O que raio é uma dose individual de haxixe?!