Segunda-feira, 13.10.08

Tenho estado a sorrir com as reacções a um post que escrevi lá no outro lado em que afirmava que, e cito-me, "para mim prova de bom senso é levar a minha filha adolescente à ginecologista para que lhe seja receitada a pílula.".




... outra reacção de um "nobelizado" que me fez sorrir. Eis o post no blog do novo prémio Nobel da Economia.


*




Tive hoje a confirmação, no Bom Dia Portugal. O tema era "carências afectivas na infância" e os seus potenciais efeitos na idade adulta. O convidado, o psiquiatra António Sampaio, lá foi explicando a coisa. A certa altura oiço o seguinte diálogo:

- O que é que é mais grave, ou pode provocar mais consequências negativas, falta de afecto da parte da mãe ou do pai?

- Seguramente da parte da mãe.

- Tanto tratando-se de um rapaz como de uma rapariga...

- Tanto tratando-se de um rapaz como de uma rapariga. De facto, a Natureza privilegia os afectos da figura materna em relação à figura paterna, embora sejam os dois muito importantes, com certeza.

Portanto, estamos sempre em desvantagem. Faltou explicar qual a proporção. Será 1:2? Um afecto materno vale o dobro de um paterno? Deve ser por isso que se vê cada vez mais pais com os filhos. Coitados, a Natureza não os fez para isso, bem que se podem esforçar mas nunca chegarão aos calcanhares da mamã. A esta bastará dar uns ares para ficar à frente.  Não sou eu que digo, é um psiquiatra. Maldita Natureza. Eu não sou psiquiatra, mas apetecia-me sugerir-lhe um sítio onde ele a poderia enfiar.

Está aqui, entre os 21.30 e os 22.00.




Quando me deparei com estes bonecos do Pedro Vieira senti como que uma compulsão para musicá-lo. Não tendo por perto as criaturas que, há uns tempo (um ou dois anos), me massacravam a cabeça cantando esta pérola a torto e a direito ainda recorri ao telefone para que me ajudassem a encontrá-la. Infelizmente não foram muito eficazes e, no meio do turbilhão em que se transformou a minha última semana, a coisa ficou esquecida. Só que - e quem me conhece sabe-o bem - nunca nada fica completamente esquecido neste baú de trampa que é a minha caixa dos fusíveis. Hoje, num flash, vi a luz e... mais palavras para quê? *Isto é maisque um Shyza Sound Trash, é uma experiênia mística....