Quarta-feira, 01.10.08

A espreitar a espécie de "Subprime para totós" (grupo em que me incluo, naturalmente) que a Helena publicou ontem no 2 dedos de conversa.







Outubro marca a rentrée e marca também o regresso ao nosso convívio (sempre quis escrever esta expressão, yeees!) do dr.maybe e das suas conversas, não em família, mas sodomitas.

 

Conversas Sodomitas XIV - Sexo Anal na Noite de Núpcias

 

 

Recentemente em conversa com a Fuckitall comentámos a retracção que se sente nos comentários destas crónicas. Talvez pelo tom afirmativo das mesmas, mas, penso, também pela temática. Não se sintam constrangidos. Falem, digam, comentem.
A título de análise, reparem em todas as grandes questões do momento: Geórgia invade regiões autónomas/ Rússia riposta e mostra quem é maior; McCain escolhe bimba para chamar a si eleitorado de Clinton/eleitorado de Clinton não se revê em Palin; Associações de gasolineiras apelam à moral dos assaltantes/assaltantes estão-se nas tintas e assaltam na mesma. Tudo falta de conversa. Levado para o domínio do foro íntimo passa-se o mesmo. É preciso dizer para que o outro saiba, e, sem que seja preciso um grande discurso (eu até sou adepto da contenção da vocalização como intensificador do prazer) ,  a verbalização do que se pretende e do que se gosta ajuda a que todos fiquem satisfeitos. Quantas vezes se pensou numa fantasia que fica por realizar porque não se diz? A Geórgia diria "gostava de consumar este casamento", a Ossétia do Sul diria "eu na verdade quero o divórcio para me unir de facto com a Rússia", a sociedade das nações diria "divórcio a pedido de um dos cônjuges nem pensar!", então a Rússia diria "vamos a litígio".
Com McCain foi o mesmo, para agradar aos criacionistas anti-escolha esqueceu-se de ouvir quem queria seduzir. Um pouco como um ménage a trois, coisa sempre muito complicada porque acaba sempre por haver alguém de fora, salvo raras excepções.
Mas do que eu quero mesmo falar hoje é da noite de núpcias. Mais propriamente de sexo anal e outras variantes na noite de núpcias.
Felizmente hoje em dia a experiência é valorizada e quando se vai a núpcias espera-se que o outro não esteja por estrear, Por isso, e a propósito da conversa "tratamento diverso para o que é diferente",  sendo hoje em dia os casamentos uma coisa tão diferente do que era, e também cada casamento um contracto pessoal diferente dos outros, porque não exaltar esse tratamento diverso para o que é diferente? Claro que esta não é uma ideia original, em noites de núpcias de certeza que já tudo foi feito mas como acima frisei, as coisas têm de ser ditas.
E já que estamos em não originalidades que tal celebrar a segunda noite de núpcias na República Dominicana com um belo duche de ouro?

 

dr.maybe




O fim de Setembro merece sempre ser celebrado, mantenho uma espécie de relação mágica com o fim desse mês, até aí cheira sempre a Verão e a lazer (apesar da realidade se esforçar por destruir esta minha crença).