Sexta-feira, 22.08.08

Como burguesinhas "ilustradas" que somos, eu e a maior parte das mulheres que me rodeia, temos, frequentemente, tendência a esquecer a merda de país conservador e profundamente machista em que vivemos. De vez em quando lá surge um tema na actualidade noticiosa que faz com que  - mesmo aquelas de entre nós mais "deixa andar" - tomaemos contacto com a dura realidade, aii... nem venho falar da manutenção do fosso salarial entre homens e mulheres (que a Fuckit até já referiu) mas antes da tristeza sombria que sobre mim se abate quando leio dezenas de comentários a propósito do veto presidencial à lei do divórcio. Há para aí um ano e meio que não me sentia, como mulher, tão menorizada, tal é o paternalismo que exala de tantos ditos e escritos.


sinto-me: bastante incomodada


"Sempre que salto, salto para o infinito".




Digam lá mal da polícia portuguesa, vá... who's the bitch now?



sinto-me: