Quinta-feira, 10.07.08

 

O JJ.Amarante descobriu-nos a careca e enviou-nos a imagem que prova que uma nova carreira (e novos nicks) nos esperam, a mim e à FIA. Ainda estamos a decidir quem é a Ménage e quem é a Truá, mas isso não interessa nada perante tão glamorosa fotografia (reparem que foi devidamente resguardado o respeito pelas proporções. Ok, houve um pouco de exagero na exuberância das feminilidades, so what?). Estamos lindas ou não estamos lindas, hein?




A rubrica é irregular mas não deixa de estar presente por aqui, no womenage, dependendo a periodicidade da disponibilidade do dr. maybe que nos volta a trazer mais uma das suas conversas sodomitas (já sabem que podem sempre consultar a saga toda, está ao alcance de um clic).

 

Conversas Sodomitas XIII- A importância da lubrificação do casamento

 

O que eu gosto da silly season! Vêm sempre à baila assuntos que noutra altura não têm espaço, aparentemente pouco importantes e no entanto tão prementes como outro qualquer.


Desta vez foi Manuela Ferreira Leite a levantar a questão (não, não vou falar de falos erectos). Ou melhor, uma jornalista, que na excelência do desempenho da sua função profissional questionou a primeira sobre o casamento entre homossexuais.


Eu concordo com a MFL, os nomes importam e cuspo não chega. Já aqui antes referi a importância de um bom lubrificante para as práticas sodomitas (aqui incluo a sodomia em si, a inserção de objectos e mãos) e mesmo para o coito vaginal. Os nomes importam e preciso aqui de prestar homenagem ao KY, essa marca que tantas vezes terá salvo casamentos, relações e que ainda possibilita todos os dias e a todas as horas momentos de prazer anal.


O que aqui quero dizer é que o nome de uma marca importa na escolha de um lubrificante, da mesma forma que uma "parceria civil" é uma solução de cuspo quando se pode ter KY. E quem diz KY diz outra qualquer, o produto tem de ser o indicado para os utilizadores e não o contrário. Vaselina já era, creme Nívea não chega.


A penetração de qualidade é basilar num casamento, fale com o seu médico de família e peça a receita para o lubrificante que permitirá o desconto no IRS.

 

Ainda na silly season, ler os últimos posts de PL. A prova de que não há idade para o despontar das hormonas com o calor do verão!

 

dr.maybe

 




Mais quinze. Mortos que não incomodam ninguém, por quem ninguém é responsável. De certeza vão directos para o céu, estes "filhos do terror". Ou então morrem espetados nas grades do portão, já não sei.