Quarta-feira, 11.06.08

Não há cá falta de octanas, prateleiras vazias ou camionistas esborrachados que desanimem. Bola prá a frente!




Resposta ao quizz de há pouco: a selecção pode ter ganho à República Checa mas levou uma abada no confronto com os pópós!




O de hoje tinha que ser dedicado às bichas nas bombas de gasolina, claro. Ide ler o puto cigano e tomai atenção aos seus inestimáveis conselhos "Porque o tempo é precioso".

 

Ah! Acrescento outro conselho que me foi dado pelo Cenas "Vai à bomba à hora do jogo". Segui-lo-ei e tirarei temas: o que é mais importante para um português, a selecção ou o seu pópó?




Querem ver que foram fazer a revolução e não me convidaram?! Caraças, são os transportes às moscas (larguem os carros, bolas!), hoje ainda só vi 3 pessoas aqui no escritório... isto, como imaginam, somado ao calorzinho lá fora, está a melhorar imenso a minha já débil moral de trabalho...


sinto-me: aborrecida de morte


 

É hoje que fico apeada (ah! e eu preciso meeeesmo do pópó, 'tá bem? é uma espécie de continuação do meu ser... quem te disse que não sou um mutante ou coisa que o valha, hein?) porque tenho mais que fazer que ficar horas à torreira do sol para pôr combustível no carro (que acabou de entrar na reserva) e este é o cenário menos mau de todas as bombas de gasolina por onde passei. Não dá para ver a bomba, eu sei, vão ter que confiar em mim e acreditar que ela está lá muuuuuito à frente, no fim desta carraria toda (sim, porque isto não são carros estacionados ao contrário do que parece). Ah! Vá lá que nesta não havia o arraial de polícia que vi nas outras.

 

Adenda: ora bolas, agora reparo que tenho o vidro sujo e isso perturba-me. O interior do carro pode ser (é) uma estrebaria mas os vidros, esses, costumam andar limpinhos.




Vejam a notícia no final desta página e digam-me: isto dá uma moral do caraças para isto, não é?




O Tribunal Europeu dos Direitos do Homem manifestou terça-feira a sua preocupação pela avalancha de queixas contra o Estado português nos tribunais administrativos por lentidão da Justiça. A preocupação está estampada num acórdão da 10/a secção do Tribunal de Estrasburgo (...). No acórdão, a que a agência Lusa teve hoje acesso, a instância judicial comunitária critica também o Ministério Público português por, na qualidade de representante do Estado, ter posições diferentes nos tribunais nacionais e nos internacionais. Critica igualmente a «incerteza» da jurisprudência do Supremo Tribunal Administrativo e a demora das suas decisões.
 




Primeira vantagem da subida dos preços e da actual quebra no fornecimento dos combustíveis: não foi a bem, vai a mal, agora é que o pessoal tem mesmo de começar a pensar em deixar o pópó em casa quando não precisa mesmo dele.

 

(este post é, evidentemente, dedicado em particular à Shyza)

 

 




...que chegou o Verão, o de agora, o que é perigoso. I'm still happy!





Se calhar o Mário é que tem razão no comentário que fez no post da Fuckit ("Prémio Take a Look at Yourself") e, cito, "é ao nível dos violinos de Chopin. O senhor nem sabe o que disse, o significado da expressão passa-lhe ao lado mas ele usa-a - por que a retém na memória longínqua-, na sua vacuidade (a do senhor, claro) e na sua sociologia e quadro histórico incipientes. Não dá para mais. Nem justifica os protestos. Talvez nem mesmo o ridículo imposto pelas instituições - que não os Gato, ou Bruno Nogueira...". Ainda não estou convencida que não justifique mais conversa - mas percebo o ponto de vista - porque constatar essa vacuidade é deprimente. Ter como presidente alguém com esta falta de sensibilidade para a memória, ainda por cima quando enche a boca com ela não raras vezes, é um espectáculo no mínimo embaraçoso.