Segunda-feira, 09.06.08

Cavaco Silva:Dia da Raça
Colocado por e5uf2
Este inacreditável regresso ao passado merece revisitação mais prolongada. Fica prometida.


Sempre à sombra da azinheira.


sinto-me: atrasada


Lembram-se de quando as pessoas abandonavam os seus animais nas férias? Esqueçam, isso já não é o problema.




"Há oito anos um cão raivoso dos qalandari mordeu num burro dos chakrani e este acabou por morrer. Foi o suficiente para que os dois clãs rivais da província paquistanesa do Baluschistão iniciassem uma guerra que viria a fazer 13 vítimas. O fim do conflito só aconteceu este ano, quando um conselho de notáveis, a jirga, decidiu aplicar a mais ancestral das sentenças no Paquistão: oferecer 15 raparigas, virgens, com idades entre os três e os dez anos, para casarem com homens bastantes mais velhos, alguns com mais de 50 anos."

 

Adenda Shyzenta:

 

Desculpa lá, Fuckit, mas achei que ficava bem aqui um reflexão profunda e avisada sobre a virgindade, saída da pena do José Diogo Quintela, publicada na edição de ontem do Público. Discorria sobre a anteriormente falada sentença de anulamento de um casamento em França mas adequa-se, também, a este contexto:

 

"(...) o valor que se está a dar à virgindade. É muito alto. Aliás, corrijo, o erro não é a sobrevalorização: é a valorização, tout court. Faz parecer que a virgindade é uma coisa boa. "Qualidade essencial"? Nem qualidade, nem essencial. Quando muito "defeito reparável". Posso não perceber nada de leis, mas o juiz não percebe nada de virgindades." (P.2, p.3)

 

Resposta FuckItiana:

 

Estás desculpada. Pois julgo que este caso vem dar em parte razão ao JD Quintela: mantém uma noção de valor da coisa, mas também não lhe dá assim um valor por aí além. Além disso, como as moças são para casar, há sempre o valor do usufruto pós-virgindade, não é?