Quarta-feira, 14.05.08

...and beyond.




girassois

 

(era a fotografia do dia no Sapo, além de fantástica muito apropriada)




Peguemos na palavra "saloio" e vejamos o que nos diz sobre ela o Priberam:

 

"camponês dos arrabaldes de Lisboa; rústico; grosseiro; finório; velhaco"

 

Será que isto implica que todos os camponeses dos arrabaldes de Lisboa são grosseiros? Naturalmente que não, diz-nos o bom senso. São diversas acepções que não forçosamente cumulativas ou consequenciais. Porque razão, então, o DN de hoje, no que é acompanhado pelo Rodrigo Moita de Deus, agarra no tão falado dicionário de calão do IDT para jovens e extrai a seguinte consequência?

 

«"betinho", "cocó" ou "careta" é "aquele que não consome droga e, por isso, é conservador, desprezível e desinteressante"

 

Já agora é isto que consta do dicionário:

 

Betinho Aquele que não se droga. Conservador e desinteressante.

 




 

Através do Sexualidade Feminina encontrei este maravilhoso teste de finais dos anos 30 que, no dizer da APA, constituiu uma "psichologist's attempt to improve marriages".




"Quando a realidade supera a ficção", do Pedro Sales no Zero de Conduta.