Sábado, 31.05.08

 





What philosophy do you follow? (v1.03)
created with QuizFarm.com
You scored as Existentialism

Your life is guided by the concept of Existentialism: You choose the meaning and purpose of your life.

“Man is condemned to be free; because once thrown into the world, he is responsible for everything he does.”
“It is up to you to give [life] a meaning.”
--Jean-Paul Sartre

“It is man's natural sickness to believe that he possesses the Truth.”
--Blaise Pascal

More info at Arocoun's Wikipedia User Page...

Existentialism

85%

Hedonism

75%

Utilitarianism

55%

Strong Egoism

55%

Apathy

40%

Nihilism

40%

Justice (Fairness)

40%

Kantianism

15%

Divine Command

10%

*ouviste,Vasco?




Já quase todos devem ter vistou ou, pelo menos, ouvido falar do fantabulástico programa "Fraudes na Internet" que a SIC apresentou há dois dias. Quando, ontem de manhã, lhe pus a vista em cima fiquei divertidíssima com o chorrilho de disparates, ideias feitas e, acima de tudo, delírios que se disseram por lá.

 

O bobo-mor foi, sem discussão, Moita Flores que demostrou não fazer ideia do que estava a falar. A diabolização dos blogs foi um must (há uns anos usavam-se exactamente os mesmos argumentos para descrever os inúmeros e inconfessáveis perigos - ó virgem maria - dos chats).

 

O Nuno Ramos de Almeida é que o topou bem e descobriu as suas fidedigníssimas fontes

 

 

 

Mas o melhor resumo da coisa pode ser encontrado no Bitaites, quando o autor, Marco Santos, termina o seu texto sobre o assunto desta lapidar forma:

 

"A Internet, tal como de resto a televisão, potencia o exibicionismo. A diferença neste caso é que a Internet potencia o exibicionismo de todos, enquanto a televisão potencia o exibicionismo de Moita Flores."

 

P.S. - É superior a mim, não consigo deixar de falar nos muuuuuito ilustrativos exemplos que Rodrigo Guedes de Carvalho usou para fazer passar certas mensagens: é o casal que se filma a fazer sexo e quando se zangam ELE põe a coisa na net. É um caso de infidelidade e é, claro, a MULHER que descobre a infidelidade virtual do marido sacando-lhe as passwords. São as MENINAS do hi5 que se expõem e se oferecem. Windo, windo, windo...




As conversas são como as cerejas, blá blá blá... e os posts também. Eu e a FIA fomos da "Mamã pôs um ovo" para consentimento informado (com uma passagem pelo acto de corromper criancinhas). Ora do consentimento informado até ao direito à escolha e, logicamente, à escolha informada é um saltinho:

 




What philosophy do you follow?

 

 

(via Pastoral Portuguesa, cujo autor, inteligentemente e ao contrário de mim, não se deixou cair em tentações fáceis)




Sexta-feira, 30.05.08

Acabo de ver na Sic Radical, em directo do Rock In Rio, a Amy Winehouse a actuar quase uma hora, digamos que não na sua melhor forma física ou artística (worn out, acho que foram as palavras da própria quando pediu muito docemente desculpa), mas com a atitude de gato de telhado at its best. Estive derretida a ver do princípio (muito) incerto até ao final bem-disposto (embora igualmente tremelicante). Uma senhora!, isto é que é uma senhora!
Cheers!

 

(logo que aparecer no Youtube posto antes imagens do concerto de hoje)


sinto-me: encantada


Tendo uma criança doente em casa e um termómetro estragado, fomos surpreendidos por, na farmácia de serviço em Cascais, só haver termómetros de mercúrio, à antiga. Que remédio senão trazê-lo, mas isto não tinha sido totalmente proibido? Tanta e tão deontológica indignação com a venda de produtos farmacêuticos em lojas genéricas, tanta preocupação com a segurança do utente, e depois impingem-me um produto alta e irreversivelmente tóxico dentro de um tubinho de vidro para ter em casa?

 

Adenda: dúvida satisfeita!, já emailei a Direcção-Geral do Consumidor e respectiva Comissão de Segurança. É oficial, sou uma queixinhas.


sinto-me: perplexa


É desta que a tua cria vai receber a prometida prenda. Cá por casa ficamos com a versão francesa que ficamos muito bem.

 




"Dear Winter:

I can't do this anymore. It's time for "us" to be over. We both know it (...).

So please. Stop tapping on my window. Stop showing up at my office after work. I'm moving on."
 

Sim, eu confesso, nunca o amei de verdade.




O Senhor Professor não distingue entre ambiente/ecologia e paisagem/estética. Não sei se o problema do Senhor Professor é ignorância ou má-fé. Ou ambos. E nem faz diferença. Em qualquer dos casos, tinha em mente a mesma adjectivação: um pouco mais que ligeiramente patético,  o problema do Senhor Professor. 

 

*para os ridiculamente novos que não conheçam a frase, é dum anúncio de rádio dos anos 70 - um anúncio a "fechos de correr", chamava-se assim na altura.




Quinta-feira, 29.05.08

Esta manhã alguém me falou de um programa da Antena 3 (que me era completamente desconhecido porque nunca tenho o rádio sintonizado em tal estação), "A Hora do Sexo" de seu nome. Curiosa como sou fui espreitar e à primeira audição fiquei... hum, fascinada com a capacidade/facilidade que alguns têm para padronizar comportamentos. Ora ouçam lá.

 

 




...'bora discutir educação sexual outra vez?


sinto-me: irritante


Esta merece sair da caixa de comentários:

 

«Como dizia a Bjork numa entrevista há uns anos (em resposta à pergunta "porque engravidou tão nova?"), quando vives num sítio onde não podes pôr o nariz fora de casa grande parte do tempo, só te resta fazer música, embebedares-te ou fazer sexo. Estes senhores escolheram as duas primeiras opções, claramente.

Mas estou a falar a sério, vocês dão-se conta da quantidade absurda de bandas que há nos países verdadeiramente frios? Querem que eles façam o quê, que vão até à praia? Ora quando tens mais gente a fazer uma coisa tens mais gente a fazê-la mal, é um corolário lógico.»

 

(comentário da Fuckit a este clip)

 

(acabo de emendar o nome de Bjorg para Bjork - faço sempre este erro mas tiveram a bondade de me alertar - FuckIt)



Shyznogud às 10:35
editado por FuckItAll às 22:29
juntar-se ao pagode ver o deboche (12)

A Helena dá as explicações necessárias sobre este filme e faz a pergunta que, efectivamente, se impõe, "Quantos anos demorará até acharmos que este filme é uma banalidade sem substância para um monumento destes?".




Eu e a Fuckit temos leituras de jornais diferentes pela manhã. Isso não obsta, claro, a que na maior parte das vezes não deparemos com as mesmas notícias. Num dos artigos do Público de hoje sobre a criatura de que ela falou abaixo estava este conjundo de palavras que achei divinais porque, entre outras coisas, descrevem a relação perfeita... ou não?:

 

«O Presidente dos Estados Unidos terá uma notável capacidade para se "auto-convencer e acreditar no que lhe der mais jeito para servir as suas necessidades no momento". Já os principais conselheiros e dirigentes que o rodeiam gozam de uma extraordinária capacidade para lhe fornecer essas explicações, considera o antigo porta-voz.» (p.16)