Quarta-feira, 23.04.08

...sem grandes dramas, desgostos avassaladores ou perdas catastróficas e coisas desse género. Só pode assim ser para um gajo que ainda guarda a perturbação de um sonho com meses, anos!

 

Éramos meninos e algo de terrível tinha acontecido, mais terrível do que uma criança poderia imaginar. Eu sabia-o pela como me olhavam todos aqueles que se assomaram ao jardim. Sabia-o por ver o teu triciclo tombado e as marcas no chão. Ninguém se atrevia a dizer aquilo que eu já adivinhava, apenas olhavam piedosamente.

 

Nem um sinal de ti, apenas sinais de que fora violento. Porra!




Saddam Hussein e émulos, Ron Jeremy, António Guterres de outros tempos, sr. Manuel da mercearia, a hora é vossa.




Tenho andado a descurar os meus (mui merecidos) créditos de "alembradora" de horrores musicais. Há que remediar a situação e, de preferência, de forma radical. É verdade que parte do silêncio se deve ao facto do lifelogger se andar a armar em difícil. Não será isso que me pára, se para dar a volta à situação for necessário recorrer ao imeem (que detesto porque é muito exuberante) seja!