Sexta-feira, 11.04.08



Ide ler o "Gang Ranking" no Goodnight Moon, é imperdível!


Oh Daniel, que feio! Então foste ofender uns senhores tão bons e sensíveis, cheios de amor no coração, que tanto pugnam pela paz e a concórdia entre os homens? Francamente. Envergonhas-nos a todos.


sinto-me: desiludida


O Íntima Fracção agora lê-se e ouve-se no Expresso.


Pelo Miguel Marujo fiquei a saber da existência de uma iniciativa que merece aplauso e divulgação.

No âmbito do Plano Nacional de Leitura lançado pelo Governo de Portugal, um grupo de professores, decidiu criar um concurso que pretende lançar um desafio à comunidade da Língua Portuguesa a fazer um "filme" (em vídeo ou telemóvel) a contar a sua história e provar o quanto gostam da sua biblioteca e/ou de um livro.


 


Já se podem ver todos os filmes a concurso e, claro, votar no preferido.




 

...levou-me a mais um miraculoso produto natural. Que, para além dos seus méritos, levou-me a rever seriamente as minhas noções de anatomia, que verifico estarem completamente erradas. Fiquei a saber que a principal função da próstata é a urinária e que, para manter a dita grândola em bom estado, devo tomar esta coisa para garantir o meu "conforto urinário". Cinco estrelas, portanto,  para a "sua rica composição em Pevide Abóbora".




 

Agora recebo folhetos de lojas de móveis. Esta semana chegou-me um belo exemplar de marketing dinâmico, de que mostro o melhor exemplo. Nada mais nada menos do que um "Cochão de Casal" de uma célebre marca. Presumo que não inclua a menina. Mas mesmo assim é uma pechincha a não perder. Pois veja-se: em primeiro lugar, contém "Independência de peso", o que constitui um notável avanço para as viagens interplanetárias, desenvolvido, acho eu, pela NASA e já disponível hoje, em sua casa, já viu? Depois, é feito de um revolucionário "Tecido Sanitized" . É ainda "Transpirável", o que calculo seja mais um avanço da biotecnologia mais avançada. Será que também urina e defeca? É ainda "Electro Biológico", o que poderá significar que, das duas, uma: ou dá choques eléctricos para despertar ou permite alimentar a máquina de lavar roupa com a nossa electroestática. Por fim, é "Reciclável". Já sabe, quando estiver usado e necessitar de ser deitado fora, procure o Colchanão mais perto de si e deposite-o lá. Ou então, corte-o em tinas tiras de 48 x 54 cm e coloque-o no Embalão. Simples, prático e ecológico.

Tudo isto são "Características especiais" do espantoso "BionaturePlus". Tão espantoso, tão revolucionário, que busquei informação mais detalhada no Google e não obtive nenhum resultado.




Esbodeguei-me a rir com as notícias matinais que dão conta das suspeitas, por parte dos deputados da nação, de "violação da correspondência electrónica". O vice-presidente da bancada do PS diz que recebe emails já abertos.

Vê-se que esta gente percebe toda de informática. Faz-me lembrar, há uns anos, o episódio da "folha Excel" dos números telefónicos, as escutas ao Presidente da República e os avatares da nata da intelectualidade nacional a falarem nos especialistas informáticos necessários para activar um filtro de um ficheiro daqueles. Agora é a violação dos emails que "aparecem abertos". Mas que raio de espiões informáticos é que abrem os emails e deixam-nos abertos? Qualquer puto de 12 anos conhece a tool do "mark as unread", os nossos deputados não?

O responsável pelo sector, José Lello, rebate as acusações, afirmando que está tudo a funcionar bem e que as anomalias referidas resultam da apertada vigilância do sistema. How funny. Há um provérbio qualquer que diz que uma fechadura tranca a porta por fora e por dentro. Não sei, portanto, se a "apertada vigilância do sistema" se destina a impedir hackers de entrar, se a vigiar os utentes internos. Para impedi-los de, sei lá, verem pornografia, jogos ou outra indecência qualquer. Não se discutiu isto há umas semanas? Neste caso, tudo pode não passar de simples medidas "do sistema" para evitar que mandem mails a putas ou que recebam mensagens de jogadores inveterados. Né?




Estamos é mal habituados, o outro tinha razão, é mesmo o país dos pequeninos.

 

Para mim, este é o princípio de todos os maus relativismos morais, quando se começa a inflaccionar o significado dos factos com palavras excessivas. Este género de excesso linguístico, em que uma acção como esta* é chamada de terrorismo, ou um ataque de histeria mal-educada passa por violência escolar, torna tudo igual, tudo indiferente.

 

*Para que fique claro, eu nem simpatizo muito com o que ali se fez; mas essa é outra questão.


sinto-me: sem pachorra nenhuma