Sexta-feira, 28.03.08

Ir ao Lidl e comprar isto. Chegar a casa e desistir da ideia de cortar o cabelo. Em vez disso, lavá-lo generosamente com o produto, inebriar-se com a fragrância vagamente semelhante a compota de framboesas e esperar o efeito sensual passion que a embalagem revela. Não vos digo nem vos conto.




Grande post, Miguel!



Confesso que andava com um certo pudor em postar isto, mas passou-me...

 

Em certa aula, após uma certa referência à balcanização ouve-se baixinho o comentário de alguém com o tom de quem acabou de realizar uma associação de ideias brilhante: "Deve ser por isso que chamam Balcãs àquilo."

 

 




... quando a reciclagem chega à pornografia.

Kid Does His War on Terror School Project using Porn (Clean) from Arman Noory on Vimeo.

I chose to make a video for my culminating task for senior-year (Canadian) Politics class was regarding the war on terror and whether or not it's effective/justified. I wanted to incite a variety of emotions in the viewer while still being educational and entertaining - so I took a porno from '81, remixed it into an an American-perspective War on Terror Porno Musical where the main character goes into trances at the subject of discussion and, gradually, the true nature of the porno begins to rise (especially the ending).



Dois textos directamente ligados ao assunto da moda.

Um do Miguel Vale de Almeida, a que sou tentada a chamar "Those were the days", que escreve a certa altura "São um queixume generalizado e meio desfocado pela perda de qualquer coisa que, quando se vai ver (e quantos destes críticos não têm a obrigação de o fazer, vindos da História?), é uma tradição que nunca existiu. E se existiu - essa tradição, essa autoridade natural, esse respeito, essa honra, essa disciplina - abrangeu apenas certos nichos (como os liceus das elites, que então não preferiam colégios privados…) ou exerceu-se à custa da liberdade (como no ensino primário - nunca o nome foi tão adequado…) do Estado Novo."

E outro do Lutz que descreve a relação irracional de muita gente com as "Ciências detestáveis".





O South Part passou a estar integralmente disponível on-line (e sem haver pirataria à mistura).


O prédio onde vivo, não sendo propriamente velho, já vai tendo uns anitos jeitosos o que obrigou a que se tomasse a decisão de substituir os elevadores. As obras começaram ontem mas só hoje tive o supremo prazer de ser acordada ao som de um martelo pneumático... só me apeteceu chorar.





Faço uma incursão naquilo que aparentemente é a Twilight Zone.


Este acabei de ouvir e fiquei com curiosidade de ouvir mais deste Matthew Santos que aqui acompanha o Lupe Fiasco. Já repararam, ando kind of fútil.



sinto-me: interessada


... o "Chafurdar no Medo" do Daniel Oliveira a propósito do "Fitna" (sobre o qual o Mouro escreveu há umas semanas que iria dar merda).