Sábado, 15.03.08

"Os ossos encontrados esta sexta-feira à tarde na barragem do Arade, perto de Silves, Algarve, são «numa primeira análise» de animal, garantiram à Lusa fontes da GNR e da PJ." [Diário Digital]

Quem sabe "nomeadamente" o que poderão ser numa segunda ou terceira análise?




Pacheco Pereira dá-nos, na sua crónica do Público de hoje, uma descrição perfeita de uma das mais fortes motivações para as leituras adolescentes:

"A frase [Lector intende: laetaberis] foi escrita no século II por Apuleio logo no início da sua história de uma "metamorfose" muito particular, O Burro de Ouro. O livro existia na minha biblioteca familiar, numa tradução ou do final do século XVIII ou do início do século XIX, e eu li-o porque a minha referência de então, um enorme Larousse universal em dezassete volumes em letra microscópica, que era tão pesado que vinha com uma estante especial, dizia que tinha partes impróprias, o que era um excelente convite à leitura adolescente. Só que a tradução estava censurada, como muitas, como As Mil e Uma Noites, como o Dafnis e Cloé, e por isso fiquei com a história do burro lascivo na memória e passei adiante. Até hoje, quando encontrei O Burro de Ouro de novo, na tradução de Delfim Leão na Cotovia, certamente livre da censura dos tempos passados." (Público, p.41)

(Adenda de dia seguinte: no Abrupto já está on-line o texto de onde retirei este excerto. Como devem imaginar não era sobre leituras adolescentes)