Quinta-feira, 07.02.08
Não me sentiria bem se não agradecesse ao Pedro Neves que nos aturou as picuinhices (deu-nos para nos armar em esquisitos com o aspecto gráfico, vejam lá bem) e as trocas epistolares non sense que antecederam esta mudança. Ah! E um sentido obrigado ao Tim Burton também.






Entrei. Está bonito. Onde é o meu quarto? E o frigorífico? Gosto daquele cabeçalho vudu.
Vejo que me põem como filho pródigo. Antes isso que engeitado. Eu sei que não dou grande assistência em casa, mas sou no geral amável, não deixo muitas coisas desarrumadas e tenho um corpo lindo.
E gosto muito de estar aqui no meio destes selvagens.


Mouro da Linha às 12:12
editado por Shyznogud às 19:24
juntar-se ao pagode ver o deboche (6)

Vou fazer as malas que estamos de partida do Blogger. Despeço-me sem discursos, tanto mais que, como mostra a Shyz abaixo, já devíamos estar na calha para sermos atirados à sarjeta, mesmo.
E assim fenece esta farsa.
We'll be back, num pc perto de si.


Alguém conhece o vinho ideal para a Quarta-Feira de Cinzas? Ontem vi uma reportagem televisiva sobre a tradição festiva local que me deixou orgulhoso de ser português. Em duas linhas, é um "almoço de grelos" só para homens, que depois bebem até cair, tarde fora, entretendo-se a atirar grandes cântaros de barro uns aos outros. Quem deixa cair, paga a rodada seguinte. Horas depois estão todos bêbados. As mulheres assistem ao longe, entre o divertido e o envergonhado. Que pitoresco, deviam fazer daquilo atracção turística para os ingleses atirarem moedas e amendoins aos very typical machos lusos. Para 2009, recomendo "Rica Pinga", versão pacote de 5 litros (aguarda-se o modelo bidão de 50 l).
Mas o Entrudo já passou. Agora aproxima-se aquela maravilhosa efeméride do S. Valentim, tão interessante e variada, tão rica e diversificada, de tão profundas raízes e tradições nacionais e, sobretudo, tão propícia ao bom-gosto. Uma vez mais, os nossos empresários vitivinícolas estão atentos a mais um nicho de mercado e, depois do "sexy", acabam de lançar esta preciosidade. Se calhar, já toda a gente conhecia. Eu, não. Mas que fiquei encantado, fiquei. Se for um vinho de excelência, causará engulhos, decerto. Um enófilo mais entusiasmado poderá dedicar o vocativo à própria garrafa e a não à destinatária original. Mas fica a sugestão.




A avaliar pelo que acabei de descobrir ao aceder ao E Deus Criou a Mulher (imagem acima) em boa hora decidimos abandonar o blogspot (será hoje ou amanhã, não sei bem, depois algum de nós dará a notícia).




Hoje vou confessar uma coisa. Tenho uma pancada por berces, canções de embalar. Quem julgava que era por bonecas japonesas e zenra wadaiko, deve estar muito decepcionado. Mas a vida tem destas coisas. Porém, haverá quem já esteja a congeminar pedofilias nisto. Cada um vê aquilo que quer.
Tenho uma pequena colecção de berces. Há-as de todas as nacionalidades e em todas as línguas. Um dia destes desato a espetar aqui as minhas favoritas. Hoje deixo aqui uma, que tinha ficado pendurada em conversa há algum tempo. É para a Shyznogud. Não é criança, mas bem que merece ser aparicada, especialmente por estes dias. Como as crianças.