Terça-feira, 15.01.08

Na passada segunda-feira, foi-me enviada por Correio Azul uma encomenda contendo material urgente para um trabalho que devia estar pronto dois dias depois.
Passada uma semana, ainda não me chegou. É a segunda vez que tal me acontece no espaço de poucos meses. Da primeira, chegou-me passadas quase duas semanas.
Nos correios, que são fiéis depositários do que se lhes entrega, não sabem dizer o que aconteceu. "Aqui só despachamos", ou "Aqui só recebemos" são as respostas normais. As encomendas, subtraídas às responsabilidades individuais, vogam entretanto num imperscrutável limbo.
O Correio Azul já é uma anormalidade. Pagamos para os Correios efectuarem como serviço especial algo que é o seu serviço normal: entregar a correspondência num tempo razoável. Mas nem assim. Em vez de prestarem um serviço decente, os CTT queimam energias a arranjar serviços telefónicos com nomes brejeirotes.
Enfim, se calhar sou eu que sou um romântico impregnado pelas epopeias do Pony Express, em que uma carta era para ser entregue viessem borrascas, bandidos, índios ou o Diabo em pessoa, ou pelas histórias de fria eficácia dos correios do império dos Habsburgos, e quejandos.
Acorda, mouro. Welcome to the West Coast of Europe.



... passem pelo blog onde ele escreve e deslumbrem-se com o último sermão dominical do metralhinha.

Se preferirem continuar com os holofotes apontados ao Colombo podem sempre espreitar na Wired, que hoje tem um artigo sobre "Christopher Columbus' Real Discovery: Syphilis".



A questão da origem e naturalidade de Cristóvão Colombo está novamente na ordem do dia, graças ao ataque de senilidade do nosso mais ilustre cineasta. Como relembrou o Flávio Josefo em comentário ao post, as prateleiras das livrarias estão cheias de livros sobre "mistérios desvendados" e de alegadas novas "provas" sobre o costado lusitano do fulano. Como serviço público, o WAT não quer deixar de contribuir para tão insigne debate. Assim, acabo de descobrir duas fontes ignotas, desconhecidas até hoje, novas, inéditas, de fiabilidade garantida, que revelo aqui em 1ª mão.
A primeira diz: a seis dias de Março [de 1493] arribou arrestelo em Lixboa Christovam Colombo Italiano, que vynha do descobrimento das Ilhas de Cipango, e d'Antilia, que per mandado dos Reys de Castela tynha fecto.
A segunda afirma: ao porto de Lisboa era chegado hum Christovão Colom, o qual dizia, que vinha da Ilha Cypango [...]. Segundo todos affirmam, Christovão Colom era Genoez de nação, homem esperto, eloquente, e bom Latino.
Fontes inéditas. Não? Se não o são, parecem, pois nenhum dos novos génios iluminados da pseudocriptocabalozooepistemologia colombina as utiliza. A primeira é o cronista Rui de Pina (1440-1522), na sua Crónica de D. João II (cap. 66) o segundo é o cronista João de Barros (1496-1570), na primeira Década (liv. 3, cap. 11). Ambos são autores consagrados e fontes preciosas e de fiabilidade indiscutida para muitos e muitos assuntos e temas da época. Porque RAIO é que o não hão-de ser também para a FDP da origem do gajo? Sempre gostámos de complicar, porra.

Adenda shyzenta (desculpas a invasão, não desculpas, cenas?): a propósito do tema convido-vos a ler o texto escrito por Luis M. Faria no último Expresso. É dos textos mais confusos e falhos de estrutura e lógica que li nos últimos tempos. Não se percebe bem o que está a dizer (ok, está a dar cacetada nos "especialistas", big deal) e, no limite e neste caso concreto, é de uma profunda desonestidade porque - e corrijam-me se estiver enganada - se há tema em que os "especialistas" perderam tempo a discutir com os "amadores" este foi um deles. Ah! tal como LMF também acho que "Uma teoria errada, ingénua até, pode ser a oportunidade para explicar um tema.", mas nos últimos dias alguém ouviu falar de obras de historiadores reputados sobre o tema? Eu não... só ouvi falar na, e cito de novo o autor, "decifração da assinatura cabalística do navegador" (hum, não seria melhor ter escrito "decifração cabalística da assinatura do navegador"? Por vezes alterar a ordem de uma só palavrinha de uma frase faz uma diferença do caraças.)




Mitt Romney Defends Himself Against Allegations Of Tolerance





Como é dito por Bluegal, no Crooks ans Liars, "The Jimmy Carter Op-Ed piece at The Onion is satire. It is full of obscenities. It is not safe for work, and most of all it does not reflect in the least the dignity, intelligence, and morality of the 39th President of the United States.

I laughed my butt off. "

Ora ide lá confirmar...