Sábado, 05.01.08


Diz que fazem 30 anos este ano.


Que este é um blog levemente (coisita pouca) pornógrafo é algo que não merece grande discussão. O Cenas, num momento de rara clarividência, teve uma feliz tirada ao afirmar que, e cito, "encaramos a pornografia de forma activista"* (esperto, o rapaz, arranjou uma bela desculpa, hein?). Quando se lêem notícias como esta "Chinese censors have banned producers of erotic movies and from competing for any film awards.(...)The heaviest punishment for such violation would lead to a five-year ban of perpetrators from the movie industry," the newly-issued ordinance was quoted by the newspaper." (via Esquerda net, via Troll Urbano, via Arrastão) , o resultado é sermos atingidos por uma bela dose de sobranceria e e presunção, afinal a razão pode estar connosco. Além do mais sentir-me-ia muito infeliz se alguma coisa me unisse a senhores como este:





*"e o activismo de forma pornográfica", era assim que a frase continuava.


Um brasileiro a dizer que gosta de viver em Portugal porque na terra dele, no Inverno, a temperatura cai muitas vezes abaixo de zero, e que cá "há mais sol".

É Luis Filipe Scolari no Expresso. E é verdade, ele é gaúcho. Apesar de tudo, o mundo ainda é mais variado do que possa parecer.



O rali Dakar nunca me entusiasmou por aí além. Acho um desperdício percorrer aqueles cenários de prego a fundo, a olhar só para a frente. Para fazer corridas, tanto me faria o deserto como o Algueirão.
Mas a morte da prova (porque não tenho dúvidas de que morreu) faz-me pena, no sentido em que mostra como a nossa liberdade vai morrendo aos poucos. O mundo está a ficar demasiado cheio e demasiado ligado entre si.
Nunca tantos deveram tanto mal a tão poucos.



Entregar à Shyza, em tempo útil, a cassete de "20 Ans Dejá."



Acabarão os problemas de segurança. Os riscos. As incertezas. As ameaças terroristas. Os medos. As despesas. As indemnizações. Os prós e contras. Só haverá prós, porque o governo local assim ordenará. Começará nas belas e vazias avenidas da capital, dará a volta ao país e acabará na capital. Uma aventura exótica. A aventura do século XXI.



Olhe, o que eu acho é que quando havia partido único as pessoas falavam muito mais do que hoje. De tal maneira eles tinham liberdade que até montaram um golpe de Estado - nas calmas.
(Maria Eugénia Neto, viúva de Agostinho Neto, em entrevista à Única




Hoje está um dia lindo. Pena o nevoeiro não o deixar ver.